31.8.11

Laioute


Acho que
não vou mais mudar o laioute assim tão drasticamente.

até bem resolvido.

Por enquanto tá bom assim.

*

Na verdade, esta simplicidade e - por que não? - minimalismo pelo qual este endereço está passando reflete um pouco da minha personalidade: alguém que nunca teve paciência para aprender Flash.


(Em tempo: adeus, Agosto. Dessa vez gostei de você.)



25.8.11

2009


Superei 2009 em número de posts.

Blog também é Twitter.

E Facebook.

E Tumblr. Tudo junto.

Até porque surgiu muito antes.

Quando a internete fazia barulho quando entrava.





A Garota que me fez ler mais do que escrever


Passei um bom tempo lendo a trilogia de Stieg Larsson. Três livros cuja soma, em paperback, totalizam mais de 2000 páginas.

Fiquei ora fascinado, ora a fim, ora aborrecido, ora temoroso, com Lisbeth Salander.

Percebi em Mikael Blomkvist como o protagonista masculino clássico do romance policial sempre tem o mesmo estilo.

E, principalmente, somando Mikael e Lisbeth ao todo que se cria, os personagens e as tramas paralelas, confluentes na hora exata, constatar como é bom acompanhar uma novela.

Agora sinto falta deles.

E lamento não terem existido as outras sete continuações para serem lidas noite a dentro.

Quero escrever livros que façam as pessoas se sentirem amigas dos personagens. Ser amigo de um personagem de novela supera qualquer outra impressão de realização literária estilística intimista.


7.8.11

Domingo



Algo como apoiar as mãos no asfalto


quente

e fazer vinte flexões ininterruptas.


A carne sensível ao toque,

poros.


Minhas unhas desiguais,


esquerdas.


O horizonte

O horizonte — visto da minha janela — não é um horizonte clássico realmente — e sim um céu bordeado por árvores insistentes em existir — ...